VIA SATÉLITE: Boletim Informativo do CNPM, Campinas, v. 9, n. 6, ago./set. 2001.

Embrapa participa de expedição na Amazônia

Uma equipe da Embrapa Monitoramento por Satélite participou, no último mês, de mais uma expedição científica à Serra do Aracá, na Amazônia - desta vez organizada pelo Ibama, com apoio da Rede Globo de Televisão. Há mais de 10 anos, a Embrapa Monitoramento por Satélite estuda a bacia do Rio Demene, onde está inserida a Serra do Aracá, próxima à fronteira com a Venezuela.

A expedição contou com uma super estrutura, que incluía barcos, hidroavião e dois helicópteros. O objetivo era identificar ecossistemas numa região de difícil acesso e fazer o reconhecimento de áreas, como a do vale do Rio Pai Nosso. O resultado da expedição pôde ser conferido no programa Globo Repórter, transmitido no último dia 5. O programa destacou, com belíssimas passagens, a contribuição da Embrapa com o uso de imagens de satélite e da cartografia ecológica, e obteve grande audiência, registrando 50% de televisores ligados.

A expedição revelou a maior cachoeira do Brasil, conhecida como Cachoeira do Aracá, que tem cerca de 365 metros de queda livre. Antes, a Cachoeira da Fumaça, no Estado da Bahia, é que era considerada a mais alta do país, com 340 metros de altura. Outro fato surpreendente, durante a expedição, foi a localização, em plena floresta amazônica, de uma espécie vegetal nova e rara do grupo das coníferas, um pinheiro do gênero Podacarpus.

Cachoeira do Aracá: a mais alta do Brasil

Pesquisadores da Embrapa deram suporte à expedição